terça-feira, 28 de março de 2017

Poças e Oceano


Prontidão
Pela noite adentro tão sozinha
Pensando onde posso enfim chegar
Prontidão
Pela noite adentro com meus sonhos
E temo de repente não poder mais voltar
Prontidão
Pela noite no escuro sombrio
Não sei bem o que é o meu esperar
Prontidão
Pela noite adentro a tentação é tão forte
E o perigo sempre vem me buscar
Já está pronta...
Ouço aquela voz a me chamar
Já está pronta...
Posso ouvir aquela voz

Existem algumas experiências que são decisivas na vida das pessoas. Todo ser humano é um mosaico de experiências, composto por fases, faces, momentos nos quais há variação de ambições, desejos porém mais nitidamente, variação de conceitos e aprendizados.

Por vezes esses aprendizados simbolizam um divisor de águas na vida e você percebe muito mais sobre si mesmo e sobre o mundo. Há a percepção de que ele nem sempre é perfeito como os desenhos coloridos que as crianças fazem na pré-escola, porém tal como esses mesmos desenhos é imperfeito e em muitos casos distorcido. Não há muito o que se fazer sobre isso, todavia, você ao longo dos anos vai aprendendo a lidar com ele.

Sendo o ser humano composto de fases, muito disso começa na escola. É fato que não se aprende numa ilha, admiraria muito alguém que conseguisse, pois a melhor forma de se lidar com as pessoas é convivendo com elas. Na escola, você começa a ver os amiguinhos, tem afinidade por muitos deles e conforme cresce, vem além da amizade a percepção de que muitos amiguinhos não são tão sinceros. Talvez nada mais quebrante para pessoas em idade escolar perceber que você estaria por um amigo até o fim do mundo, achar que ficaria com ele até quando estivessem velhinhos compartilhando fotos de netos, porém ao invés disso se deparar com a realidade de que nem se precisa terminar as últimas provas para perceber que esse mesmo amigo não pularia uma poça por você.
Provavelmente na vida adulta se a experiência pudesse ser transfigurada em um mapa ou em cores, uma das mais importantes, talvez ligada até com mudanças importantes, seja quando o indivíduo percebe quem é oceano e quem é poça. E isso o acompanha sempre, na convivência com todos em diversos ambientes, o que começa lá na escola tende a se aperfeiçoar. Vi pessoas que amavam aquele ambiente escolar, achavam que se pudessem ficariam para sempre lá e que todos eram bons, que todos os amiguinhos se importavam e era lindo, porém com o desgaste dos anos, percebendo condutas, arrogâncias, mudaram a ponto de não querer outra coisa além de cair fora da escola o mais rápido possível.
O ponto principal de quando você lida e percebe essas diferenças é a consideração que sente vinda das pessoas. Sabe, é o típico caso de você por exemplo se preocupar em comprar um presente para uma pessoa que considera muito, se lembrar dela mesmo que esteja longe e fazer questão de entregar, mas ás vezes a pessoa sequer o recebe pessoalmente, porém no dia do seu aniversário ela sequer lembrar de mandar um feliz aniversário ou mandar uma mensagem clichê porque foi lembrada pelas redes sociais. É você fazer esforço para que ela se lembre de você, é tentar manter conversas pois ela se mostra desisnteressada no que você fala e faz, ao passo que você ressalta o quanto está ali por ela e que ela pode confiar em você para qualquer coisa que precise, é se mostrar sempre disponível porém a recíproca não ser sentida nem mesmo diante de necessidade. 

Muitos permanecem assim por anos, atravessando oceanos, por um gostar que é até sincero e carinhoso contudo o tempo é implacável e ao perceber que sequer uma poça é pulada por você, seu fôlego vai se perdendo.

Claro que diante de tamanha descrição, pode parecer que é na base de interesses, o famoso toma lá- dá cá, porém é mais uma questão de respeito mútuo e saber perceber que algumas pessoas não sabem ou não podem, ou simplesmente não tem pra dar na mesma intensidade. Uma cena de Game of Thrones exemplifica muito bem essa questão. Tyrion, o famoso anão, estava preso e precisava de um campeão para lutar em um combate por ele. Sua primeira opção foi Bronn, seu capitão da guarda, contudo quando chamado em sua cela, ele se recusa em parte porque o adversário era enorme e em parte porque a irmã de Tyrion, Cersei, prometera e Bronn casamento vantajoso caso não lutasse. Tyrion poderia se sentir traído, mas não se vê nele tristeza, raiva, talvez um pouco de decepção porém como pessoa que já tinha aprendido muito sobre o mundo, compreendeu.

Tal como nosso leão, muitos compreendem. Depois de lidar com coisas assim, você acaba compreendendo e percebendo, sem rancor, que muitos não vão pular nem poças por você a não ser que queiram e mudem, porém você em respeito a si mesmo não vai ficar esperando nem atravessando oceanos enquanto isso não ocorre. É também uma forma de respeitar o outro, já que você o enxerga como ele é e não o pressiona com cobranças do que ele não pode nem tem como dar, simplesmente porque não se sente tocado. Ao contrário do que parece, não é uma linha reta de bom ou mau, apenas de maturo e imaturo. Você de forma alguma deseja mal, apenas se cansa de atravessar oceanos por pessoas que não pulariam uma poça por você.

Perceber essas atitudes nas pessoas em casos é como sair de uma caverna escura. Por mais que falem que você devia ficar lá, por mais que digam que você não devia ter saído não tem mais jeito. Quando você sai, enxerga, percebe, não tem mais como voltar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário