segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Feixes de esperança em dias mais ou menos

 


Tem dias que parecem de um gato vira-lata, eu queria ás vezes ter o poder de um gato pra poder pular grandes alturas e ficar em cima dos telhados. Hoje foi um dia meio assim. Falo meio porque teve momentos felizes também, feixes de luz por entre as nuvens. Um típico dia de solidão.

Acordei cedo, fiz umas entregas, fui na universidade vazia, vi antigos amigos e tirei umas fotos 3x4. Passei a tarde meio mais ou menos, com um monte de pensamentos, questionamentos na minha cabeça, que francamente me fazem mal, me senti só. Aquele momento em que você se pergunta: por que mundo? Por que tanta coisa negativa como se tudo fosse errado? O dia em que você está em uma onda ruim.

Contudo, não há luz sem trevas. E sempre há um feixe de luz, por menor que seja. E o dia foi assim. De repente, um amigo, com nome de anjo foi como um anjo me mandando uma mensagem super positiva sobre sonhos. É aquele momento que parece coisa do próprio Deus.
Talvez tenha sido mesmo.

A net foi instalada após quase um mês de embromação e eu que queria tantos desenhos, fui logo pra um canal que passava uma reportagem sobre endometriose, assuntos de ginecologia me interessam. E eu fui vendo, vendo, e vi dois casos. Bem, as definições, tratamentos, isso eu sei, sou da área, mas o que me emocionou foi que as mulheres tinham um sonho: o de ser mãe. Vi a emoção delas de engravidar, a emoção de uma delas de ouvir o choro da filha e não acreditar que era real. Uma delas disse que varreu o medo da vida. Uma mulher com endometriose engravidar e ter um filho e dizer que é possível é acreditar no sim quando o resto diz não.

Desliguei o celular. Mudei o cana e vi a babá Mcphee. Riso. Banho. O sabonete de coco da Palmolive me pareceu mais cheiroso hoje. Não há fome, nem frio. 

Só a vontade de um sonho, de um novo dia...
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário