sábado, 1 de dezembro de 2012

O valor de um cabelo








Pense rápido: qual o valor que seu cabelo tem pra você? E se de uma hora pra outra, assim de repente, você não tivesse mais ele? Se sentiria como? Talvez para os homens cabelo não tenha um valor tão grande assim, tipo um shampoo e um gel basta, mas para uma mulher é shampoo, condicionador, hidratante, leave-in, reparador de pontas e spray reparador, tal qual o valor que ela dá a cabeleira. Cabelo é a parte do corpo que tem mais valor para uma mulher, somente perdendo, talvez, para o útero.

Falando na sinceridade, me desapeguei de cabelo faz um tempinho. Desde pequena, fui acostumada com cabelo longo, lembro-me de que chorei quando cortaram curto por causa de um ataque de guirana (um tipo de fungo). Cresci com cabelo longo e indisciplinado; depois aderi a escova definitiva e queria um cabelão até a cintura; um belo dia cheguei no cabelereiro e disse: corta fio reto no ombro; dois anos depois lá estava ele de novo, grande, á espera do penteado da formatura.

Ás vezes, leio por aí mulheres falando que o cabelo vai demorar cinco anos pra voltar a ser o que era quando ela cortou tipo uns 3 dedos. Acho bem ridículo, uma vez que o cabelo cresce cerca de 1cm ao mês, três dedos são no máximo uns seis meses. Contudo, o objetivo não é falar de questões estéticas ou dar informações pra você debater com seu cabelereiro, a questão aqui é quanto seu cabelo vale pra você.

Pra não ficar esquisito, vou explicar melhor. Cabelo é uma parte do corpo que carrega um peso muito grande. Muda sua aparência, vira alvo de elogios ou críticas, pode ser mudado de variadas formas, mas também carrega um peso simbólico de significados que vão além de estética.

Eu HOJE não sou apegada ao meu cabelo, tanto que já pensei que raspar a cabeça inteira não seria um problema do outro mundo. Hoje eu me sinto bem livre pra cortar, repicar, fazer loucuras com ele, com segurança devo enfatizar. A cena mais legal que vi com relação a cabelo não foi a da Carolina Dieckman raspando a cabeça por causa de seu personagem com câncer, não me emocionei tanto como era pra ser e explico o porquê.

Durante tratamentos quimioterápicos, não só os cabelos caem, mas praticamente todos os pelos do corpo, incluindo sombrancelhas. O cabelo é o que mais aparece, contudo raspar ou não é uma alternativa, pois é algo inevitável com o tempo. A cena mais significativa pra mim foi a da Tirsa, da minissérie Rei David. Ela era serva de uma princesa que morreu ao dar a luz, o pai da criança também morreu assim como o restyo de sua família. Tirsa, devido a toda devoção que tinha ao seus senhores cuidou do menino como pôde, eles mendigavam e ela se vendia para conseguir comida. Quando são acolhidos pelo Rei David, durante um almoço, jogam na sua cara seu passado fazendo-a sentir indigna de estar ali.

É aí que começa a história do verdadeiro peso do cabelo. De início não entendi porque a Tirsa começa a cortar seu cabelo com uma faca, mas depois percebi qual era o objetivo da coisa. Ela corta seu cabelo todo, um cabelão diga-se de passagem, corta de um jeito brusco, de uma forma toda descuidada. E por fim, a esposa de David raspa sua cabeça por inteiro. Pronto, é a chance que ela tem de recomeçar.

Tipo assim, acredito que o cabelo tinha um significado de carregar tudo o que uma mulher tinha tanto de bom quanto de ruim. Se livrando do cabelo, Tirsa se livra de seu passado que tanto dói e tanto faz sofrer. A melhor cena é quando ela anda pelas ruas careca, anda de cabeça erguida, olhar fixo, as pessoas olham porque sabem o porquê dela ter feito, sabem que havia algo de muito ruim que devia ser tirado, mas ela não se abate. E quando um conhecido servo que também jogava em sua cara seus erros a encontrou pergunta: Que isso Tirsa? E ela, segura de si responde: VOCÊ NUNCA MAIS VAI PODER ME CHAMAR DE PROSTITUTA.

Cortando cabelo você também se livra do quanto isso incomoda, ninguém poderia mais chamar Tirsa de prostituta, nem machucar você tocando em suas feridas. Tem gente que adora uma mudança no visu, porém vai além. Como eu disse, tem peso, cabelo é carregador de lembranças, de coisas que possam ter passado e são meio ruins de lembrar. Cortar cabelo é ritual de passagem, tipo tirar tudo de ruim e se livrar de como incomoda quando as pessoas tocam.

Na Índia, as mulheres acreditam que seus cabelos servem como um acessório para seduzir os maridos. Tanto que quando ficam viúvas, raspam a cabeça. Feministas talvez achem um absurdo, mas olhando por uma ótica bem prática e fria, sendo o cabelo um acessório para um fim, se você não tem mais o marido, não tem mais porque ter cabelo. E com isso elas se livram do acessório que não tem mais serventia

Lembra que eu não tenho problema em cortar cabelo? Em parte por isso, tipo que direito as pessoas acham que têm de remexer em feridas tão profundas e tão pessoais? Há coisas que são nossas, tão doloridas ou felizes que queremos guardar em algum lugar bem fundo do nosso ser, então por que pessoas de fora pensam que podem enfiar seu dedo sujo em algo tão nosso? Daí, acho que depois de um dia complicado, difícil, no qual você ouviu coisas que não queria, corte o cabelo. Experimente o desapego qualquer hora, ao cabelo e ao sofrimento. corte algum dia seu cabelo, 3 dedos que seja. aí você vê que o mundo não caiu, não acabou, você não jogou uma bomba atômica no visual e se libertou de um medo oculto mortal de um corte feio. Eu me passo pra aquela situação de garotas que se dizem tão bem resolvidas, com coragem pra protestar mostrando os peitos na rua e não ligam para os namorados a não ser que liguem antes, mas morrem de medo, ficam apavoradas de sentar na cadeira do cabelereiro e ele errar na mão e cortar meio dedo a mais do combinado.

Desapegue, não tenha medo do seu cabelo, não tenha medo de cortar. Quando quiser cortar, corte. Falando por mim, depois de um dia meio ruinzinho, no qual você escuta coisas que não quer ouvir, num dia em que o mundo parece ter virado a cara pra você, não tem nada melhor do que uma boa tesoura nas madeixas...

2 comentários:

  1. Eu, particularmente, também não tenho apego ao meu cabelo. Por mim, eu cortava ele naquele modelo de channel bem feminino e despojado. Mas meu cabelo é ruim e quando a raiz ondulada do meu cabelo começasse a crescer... o negócio não iria prestar. Se eu precisasse raspar a cabeça um dia, eu diria: ok, né... vamo lá.
    O massa é que minhas amigas me olham como se eu fosse um ET, mas elas já se acostumaram! xD
    Mas enfim, amei a postagem!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Valeu Lu! Obrigada pelo comentário! Tbm me olham como um ET ás vezes, mas nem aí XD. Valeu!

    ResponderExcluir