terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Ah, então você odeia coisa dublada...




... me fala aí como é ignorar o fato do Brasil ser um dos melhores do mundo no ramo. Segundo uma declaração de José Leonardo, que dublou Bob, da família Dinossauro e Lion-O, dos novos Thundercats, “A dublagem sofre preconceito justamente por ser brasileira, porque o brasileiro não dá valor ao que é brasileiro”. É, nosso país goza de fama ruim em muita coisa, mas em questão de dublagem ele pode se gabar de ter um grupo de profissionais dignos do Oscar. A população é que gosta de um legendado, muitos olham dublado como aquela opção que além de ser indesejável é a inevitável, portanto frustrante, contudo o que existe é dublagens ruins, o que não desmerece as boas. Não nego que há coisas que realmente não tem jeito, é legendado mesmo, mas não deixo de ver o dublado não só pela curiosidade, mas também pra ao menos dar um prestígio a esses profissionais que emprestam suas vozes e não seus rostos.

Há dublagens que para mim e para muitos são as melhores, os animes e desenhos dos anos 90 que o digam. Até hoje sou apaixonada pela voz do Batman, ou melhor, pela voz do Márcio Seixas. Cavaleiros do Zodíaco, Dragon Ball Z, Guerreiras Mágicas, Cavalo de fogo, Pokémon, Digimon, He-man contaram com vozes até hoje reconhecidas e valorizadas tais como a de Wendell Bezerra (KAMEHAMEHA!), Marcelo Campos (Trunks, Yugi e Edward Elric), Francisco Brêtas (Pó de diamante!). As animações da Disney também são exemplos de dublagens muito bem feitas.

Falando em animações, elas são um exemplo de algo que legendado não tem graça. Já vi a saga da Era do Gelo legendado e parece não ter a mesma graça. Pense na sua animação favorita da Disney, não consigo imaginar o Pumba sem a voz de Mauro Ramos, que também substituiu o falecido Bussunda na dublagem de Shrek; nem a Fera sem a voz de Garcia Junior que por sinal é a mesma do He-man, Simba e pasmem, Pica-Pau; Woody sem Marco Antonio Ribeiro, esse você conhece, a formiguinha Flik de Vida de Inseto, o fanfarrão Tony Stark e o esperto Sherlock Holmes também são ele; Buzz Lightyear sem Guilherme Briggs, que por sinal colocou uma expressão improvisada que arrancou risos de plateias inteiras, é a cena em que ele chama o Ken de “metrosexual de plástico”, no original a expressão é algo como “brinquedo de menina”, pessoalmente a versão dublada ficou mais legal pra mim.
 
É claro, ás vezes alguns “civis” são escalados pra dublagem. Os civis que chamo são atores ou atrizes, ou seja, não possuem experiência com dublagem, porém tem as expressões e necessitam colocá-las na voz e isso se transforma em uma dificuldade, já que os princípios da dublagem é sincronismo e interpretação e muitos civis não conseguem concatenar isso. Um dos primeiros filmes que vi com um civil dublando foi Tarzan, pra quem não sabe, quem dublou o rei da selva foi Eduardo Moscovis, o galã da novela Alma Gêmea, muitas garotas suspiravam com aquela voz, foi uma luva e um trabalho muito bem feito. 

Outro exemplo, embora esse pra mim não seja tão inexperiente assim, o ator Selton Melo, dublou Kusko de A nova Onda do Imperador e Kenai, de Irmão Urso, acho incrível o modo como ele consegue entoar a voz em cenas engraçadas, dramáticas e sensíveis.  No primeiro filme, junto com ele, Humberto Martins e Marieta Severo também compuseram o time e o trabalho foi excepcional. Se você assistiu Garfield, o gatão foi dublado por Antonio Calluni, o atual turco Mustafá da novela das nove. Até Reynaldo Gianecchini se arriscou dublando Rodney Lataria no filme Robôs e ficou muito bom. 

A Era do Gelo definitivamente não seria a mesma sem Diogo Vilela, Tadeu Melo e Márcio Garcia como Manfred, Sid e Diego, eles souberam fazer um trabalho tão incrível como dubladores que quando os vi atuando na televisão não reconheci. Lamentavelmente tem vezes que a escolha de um civil para dublagem não é tão feliz assim, foi o caso de Enrolados para Sempre no qual escalaram Luciano Hulk para dublar Flint Hider, no começo até achei bonitinho, mas depois de ler umas críticas e prestar mais atenção percebi que ele desafinava algumas vezes de forma tão acentuada que nem parecia a voz dele.

http://4.bp.blogspot.com/-OS9hlL0WgY8/UIq6IWE8O1I/AAAAAAAAG48/EL2GiZKhLP8/s1600/Isabelle+Drummond.jpgAgora, minha curiosidade é com relação ao filme “A Origem dos Guardiões”, que conta com a voz da estreante (civil) no ramo Isabelle Drummond como a fada do dente. Pelo pequeno trecho que vi no youtube, acho que ela se saiu bem. Thiago Fragoso também está presente, (você pode vê-lo todos os dias na novela das seis), ele mostrou seu talento para dublagem no filme Ratatouile como Linguini, fez um ótimo trabalho, embora dessa vez acredite que a voz de Charles Emmanuel (Bem 10, Rony Weasley, Mutano) que aparece nos primeiros trailers estava muito mais adequada do que a de Fragoso. Por se tratar de um jovem de 23 anos, a voz era mais a cara de um personagem que tem esse jeito de moleque travesso.

Apesar do talento de nossos dubladores, infelizmente na atualidade há coisas impossíveis de se ver dubladas, não pela dublagem ou pela tradução em si, mas pela particularidade de elementos. O anime One Piece, por exemplo, vi a dublagem, as vozes são boas, os profissionais ótimos, mas a censura colocada sobre o anime prejudicou muito o andamento das cenas e consequentemente a dublagem. Há filmes que possuem expressões muito particulares, muito fechadas onde uma tradução não cabe e fica meio complicado de entender.

É o caso de Quem quer ser um milionário, é um filme repleto de expressões indianas e diálogos característicos, vi o dublado, e o legendado fez mais sentido pra mim. Memórias de uma Gueixa, com expressões do universo das gueixas e trechos com um sentimento que só pode ser passado quando se vê no modo legendado. A série Walking Dead vi dublado alguns episódios, acredito que não souberam escolher a voz dos personagens de forma adequada, o que não desmerece o talento dos dubladores. Outro filme meio inviável para dublagem é O Fantasma da Ópera, um filme no qual diálogos falados são poucos e a composição é 99% de músicas meio líricas, então á menos que escalassem Saulo Vasconcelos e Kiara Sasso (especialistas no ramo) para dublagem, quaisquer outros nomes seria pedir um esforço descomunal da garganta.

Os otakus, por exemplo, valorizam muito os que dão voz a seus personagens favoritos na maioria das vezes, pra mim o time mais perfeito de dubladores foi o do Digimon Adventure, desde o narrador, Ricardo Juarez (Johnny Bravo) que além de tudo também é paraense, meu conterrâneo e Dragon Ball Z, fora, claro Chaves que é considerado a mais perfeita dublagem feita, palavra de Márcio Seixas, um dublador classe AAA. Talvez devêssemos valorizar mais nossas vozes, pois segundo os próprios dubladores, o reconhecimento deles veio da Fox, da Disney que faz questão da dublagem, da Warner, então se justamente as empresas que nos dão os melhores filmes dão maior bagagem pra nossas vozes e as elegeram as melhores do mundo, porque nós, os próprios brasileiros não deveríamos dar também o mesmo prestígio?

4 comentários:

  1. Sempre achei frescura essa galera que não assiste nada dublado. Fora que as legendas também são bem porcas, diga-se de passagem. Hehe.

    Só para complementar: uma das melhores dublagens brasileiras foi do anime Yu-Yu Hakushô, que passou na Manchete nos anos 90. Conseguiram adaptar o jeito brasileiro de falar direitinho com a história. Muito bom mesmo!

    Também é legal quando você está assistindo algum filme e reconhece "Ah, essa voz é do mesmo dublador do personagem tal". Lembro que naquela novela das seis, Araguaia, teve uma época que apareceu o narrador dos Cavaleiros do Zodíaco como um bispo que visitava a cidade. Reconheci na hora! Hehe!

    Gostei do post. Até o próximo!

    PS: Ah, postei uma história nova no Nyah! Te mandei uma mensagem com o link e já tem dois caps. Acho que você vai gostar (acho).

    ResponderExcluir
  2. Não assisti esse anime, mas definitavmente os dos anos 90 são os melhores XD. De repente, virou mesmo uma modinha criticar dublagem, na legenda muitas vezes algo é perdido e é como eu citei, ás vezes os animes já vem com algum coisa errada e os dubladores é que precisam se adaptar. Mas agradeço o comentário e fico feliz que tenha gostado!

    ResponderExcluir
  3. Legal essa matéria.
    Eu acho triste conversar com meus amigos e eles, em alguma conversa, criticar tanto a dublagem brasileira, sem ao menos saber de tudo o que se passa. As vezes as pessoas nem assistem a uma animação ou filme e já vem logo falando mal das vozes brasileiras. u.u

    Eu amo um cartoon chamado Apenas um Show(Regular Show) que passa na Cartoon Network. E admiro muito o trabalho que os dubladores brasileiros andam fazendo. O Charles Emmanuel fez um trabalho fantástico, e sabe, eu vi esse cartoon em inglês hoje no youtube, e o personagem Rigby não passa a mesma graça que o Charles tenta passar em português. Não tem a minima graça, na verdade, a voz em inglês é sempre a mesma, quando tá triste, quando tá feliz.. Em português brasileiro é tudo de bom, quando o Rigby dá um gritinho de "Cala a boca!!" ahah, muito bom.

    O anime Yuyu Hakusho também me marcou muito, assisti ele dublado na manchete e no remake que fizerem a pouco tempo atrás. E o dublador do Yusuke foi demais, fazendo aqueles clássicas piadinhas, asuhahus

    Outro dia estava assistindo a entrevista que fizeram aos dubladores de "Du,Dudu e Edu" da cartoon: http://www.youtube.com/watch?v=o9Etu-A1LWc&list=FLlBAoX68j_S-QbtCro46N-g&index=13
    E cara, muito show! O próprio dublador do Du que inventou, ali, na hora, o famoso "Bonitinho" ahahah

    Meu, amo demais a dublagem brasileira, e sinto muito pena pelos brasileiros não sentirem o mesmo.

    ResponderExcluir
  4. Muito obrigada pelo comentário! Realmente, os brasileiros tem um jeito especial de fazerem seus personagens. Vi a voz do Goku original, não é a mesma coisa, a mesma emoção, aqueles sons expressivos de surpresa, a risada, não se pode comparar. É bom saber que há pessoas que apreciam a nossa dublagem e valorizam o trabalho feito pelos profissionais. Obrigada por comentar, é ótimo saber que há uma nova leitora!

    ResponderExcluir